País

Mau tempo provoca inundações em habitações e deslizamentos de terras nos Açores

(Arquivo)

Rafael Marchante

Maioria das ocorrências registou-se na ilha Graciosa.

As fortes chuvas que se fizeram sentir hoje de manhã nos Açores provocaram inundações e deslizamentos de terras nas ilhas de São Miguel e da Graciosa, num total de 12 ocorrências, sem registo de vítimas.

"Atendendo às chuvas que se fizeram sentir durante a manhã de hoje, há a registar 12 ocorrências nos Açores, oito delas tiveram lugar na ilha Graciosa", adiantou, em declarações à Lusa, o vice-presidente do Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores, Osório Silva.

Na ilha Graciosa, onde se registou a maioria das ocorrências, verificaram-se "inundações em estabelecimentos comerciais e em habitações", na freguesia da Praia e em Santa Cruz da Graciosa, bem como "uma pequena derrocada".

Já na ilha de São Miguel foram registadas "quatro ocorrências", dois deslizamentos de terra no concelho de Ponta Delgada e duas inundações em habitações, nos concelhos da Ribeira Grande e de Vila Franca do Campo.

"A maior parte destas ocorrências registadas até ao momento foi prontamente resolvida pelos bombeiros voluntários, em colaboração com a direção regional das Obras Públicas e Comunicações, os serviços municipais de Proteção Civil e com a Polícia de Segurança Pública, sob a nossa coordenação", avançou Osório Silva.

O vice-presidente da Proteção Civil dos Açores salientou, no entanto, que "não há vítimas a registar", nem pessoas desalojadas.
Osório Silva disse ainda que "neste momento não há qualquer estrada encerrada", mas apelou para a "prudência na condução em algumas vias", lembrando que as condições meteorológicas adversas se vão continuar a fazer sentir.

Na ilha de São Miguel, registou-se também hoje um acidente de viação, com três vítimas, uma mulher de 29 anos, que teve de ser desencarcerada, e duas crianças.

"Às 11:30, ocorreu um despiste em Vila Franca do Campo, mais precisamente na via rápida, no quilómetro 16, no sentido Ponta Delgada-Vila Franca", adiantou o vice-presidente da Proteção Civil dos Açores, acrescentando que as três vítimas "transportadas para o Hospital de Ponta Delgada".

As ilhas do grupo oriental (São Miguel e Santa Maria) e central (Terceira, Graciosa, São Jorge, Pico e Faial) estão ainda sob aviso amarelo (o terceiro mais grave numa escala de quatro) até às 00:00 de domingo, devido à previsão de "aguaceiros por vezes fortes acompanhados de trovoadas".

O grupo oriental estará sob aviso amarelo entre as 18:00 de hoje e as 06:00 de domingo, devido à possibilidade de agitação marítima e vento forte.

Segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), às 9:00 de hoje (hora local, mais uma em Lisboa), a tempestade tropical Pablo "encontrava-se a 420 km a sudoeste dos Açores, deslocando-se para este-sudeste com velocidade de 15 km/h", prevendo-se que durante o dia de hoje "se desloque para norte-nordeste atingindo assim as ilhas do grupo oriental ao fim do dia".

"A tempestade tropical Pablo possui pequena dimensão, ou seja, o raio de ação do vento com intensidade de tempestade tropical é de aproximadamente 50 km à volta do seu centro aquando da sua passagem pelo grupo oriental. Assim, prevê-se para São Miguel e Santa Maria que o vento do quadrante sul rodando para oeste se torne forte com rajadas na ordem dos 100 km/h para o fim do dia de sábado, 26 de outubro, e ondas de altura significativa de cinco a sete metros do quadrante sul passando a oeste", avançou IPMA, em comunicado de imprensa.

"Prevê-se para São Miguel e Santa Maria que o vento do quadrante sul rodando para oeste se torne forte com rajadas na ordem dos 100 km/hora para o fim do dia de hoje e ondas de altura significativa de cinco a sete metros do quadrante sul passando a oeste", avançou o IPMA, acrescentando que "a vasta região depressionária irá a provocar a ocorrência de aguaceiros que poderão ser fortes e acompanhados de trovoadas em todas as ilhas bem como, vento com rajadas até 85 km/h nos grupos ocidental e central"

Lusa