País

Greve nas escolas contra amianto, violência e falta de pessoal

Professores e assistentes operacionais começam hoje uma greve de duas semanas.

A greve nas escolas contra o amianto, a violência, a falta de funcionários e professores vai prolongar-se até 22 de novembro, anunciou o Sindicato de Todos os Professores (STOP).

Professores e assistentes operacionais exigem a retirada do amianto das escolas, mais funcionários e professores e o fim da violência nos espaços escolares.

Para hoje estão marcadas várias concentrações em frente a escolas de todo o país.