País

Juiz Carlos Alexandre conduz processo com 127 acusados

(Arquivo)

Em causa está o processo "AIMinho".

O juiz Carlos Alexandre começou esta segunda-feira a conduzir a fase de instrução do processo em que a Associação Industrial do Minho está acusada de fraude na obtenção de subsídios da União Europeia.

O caso tem 127 arguidos acusados, incluindo o antigo presidente da Associação. António Marques está acusado de mais de 70 crimes de fraude na obtenção de subsídio, branqueamento de capitais e associação criminosa.

Segundo a acusação, a teia liderada pela instituição industrial levou ao desvio de mais de 10 milhões de euros.

O processo chegou às mãos do juiz na semana passada, depois de terem saído do Tribunal Central duas outras magistradas. Carlos Alexandre e Ivo Rosa passam a ser os dois únicos juízes do tribunal que acolhe os processos mais complexos.