País

PSP remete ao Ministério Público caso da paralisação automóvel na 2.ª Circular

Paralisação espontânea terá servido para homenagear as três pessoas que morreram naquela via, em 21 de fevereiro, na sequência de um despiste.

A PSP remeteu ao Ministério Público o caso da paralisação de cerca de 150 automóveis na Segunda Circular, em Lisboa, na madrugada de domingo, para homenagear as três pessoas que morreram na sexta-feira naquela via, foi esta quarta-feira anunciado.

Em comunicado, o Comando Metropolitano de Lisboa (Cometlis) da PSP refere que "foi elaborado o respetivo auto de notícia", tendo sido "remetido ao Ministério Público".

Entre as 00:05 e as 01:35 de domingo, concentraram-se cerca de 150 viaturas e 500 pessoas junto a um posto de abastecimento de combustível na Segunda Circular, no sentido Aeroporto - Benfica, cortando a via nos dois sentidos, escrevem as autoridades policiais.

Esta ação espontânea terá servido para homenagear as três pessoas que morreram naquela via, em 21 de fevereiro, na sequência de um despiste.

De acordo com a PSP, os condutores não obedeceram às ordens de remoção dos veículos e desimpedir o trânsito, tendo estes saído para a via.

Alguns dos participantes terão libertado balões brancos, com luzes, junto a um local de tráfego aéreo.

Em comunicado, o Cometlis acrescenta que foram registadas as marcas e as matrículas dos carros que cortaram o trânsito, não tendo sido "possível identificar os condutores".

Ainda a fazer as diligências para identificar os condutores, a PSP adianta que estes comportamentos "são passíveis de terem enquadramento criminal, por atentarem contra a segurança do transporte rodoviário", além de constituírem ilícito contraordenacional.

Na nota, é referido que a paralisação não foi previamente comunicada à autoridade competente.

Na segunda-feira, a subcomissária Ana Carvalho adiantou à agência Lusa que a PSP já tinha identificado algumas das viaturas que participaram nesta ação, mas nenhum dos participantes.

Ana Carvalho explicou que a identificação das através das matrículas "permite apenas saber quem é o proprietário do veículo e não quem o conduzia naquela noite".

Na ocasião, a subcomissária adiantou que foram detetadas algumas irregularidades nos veículos identificados, nomeadamente falta de registo, de inspeção e de matrículas canceladas.

Segundo Ana Carvalho, as notificações aos proprietários dos veículos que apresentavam irregularidades serão feitas através da Polícia de Trânsito.

"Os proprietários dos veículos serão notificados e ou assumirão a responsabilidade ou indicarão o condutor", apontou.

A subcomissária da PSP disse também que serão investigadas eventuais implicações criminais com a libertação de balões junto a uma zona de tráfego aéreo.

Uma viatura ligeira despistou-se cerca da 01:00 de sexta-feira, num acidente que causou a morte a três homens, únicos ocupantes do carro.

  • 100 mortes e 5.170 casos de Covid-19 em Portugal

    Coronavírus

    O número de óbitos subiu de 76 para 100 em relação ao último balanço da DGS, enquanto o número de infetados aumentou de 4.268 para 5.170, mais 902 em relação a ontem. A região Norte continua a ser a mais afetada. A ministra da Saúde diz que a incidência máxima da doença deve acontecer no final de maio. Siga aqui ao minuto as últimas informações sobre a pandemia de Covid-19.

    Direto

    SIC Notícias