País

Governo aprova milhares de euros para quem quiser mudar-se para o interior

Governo aprova milhares de euros para quem quiser mudar-se para o interior

Ana Geraldes

Ana Geraldes

Jornalista

"Não será por falta de recursos que deixaremos de apoiar a mobilidade para o interior"

No final de dois dias a desdobrar-se em ações pelo distrito de Bragança, o Governo aprovou em Conselho de Ministros incentivos para quem quiser ir trabalhar para o interior do país e também um conjunto de medidas de apoio às empresas para criarem negócios e contratarem nas regiões mais despovoadas.

Tudo em nome da promoção da valorização do interior, que aliás esteve na base da decisão de fazer este Conselho de Ministros descentralizado em Trás-os-Montes.

A ministra da Coesão Territorial revelou os milhares de euros que o Governo vai oferecer, ao abrigo dos vários programas, fora os incentivos fiscais que já existem e outras medidas de redução de custos, por exemplo, das portagens.

O impacto financeiro da medida? Ana Abrunhosa diz que vai depender da procura, que anseia "que seja grande", mas não se inibe em afirmar que "uma coisa o Governo garante é que não será por falta de recursos, caso tenhamos uma procura elevada, que deixaremos de apoiar a mobilidade geográfica de trabalhadores para o interior".

Um agregado familiar que se desloque para o interior pode ter um apoio direto de até 4800 euros. Se vier do estrangeiro, sobe para os 7600 euros, conjugando com o programa Regressar.

Para empresas que contratem novos trabalhadores no interior, há uma dotação de 125 milhões de euros do Fundo Social Europeu. Para projetos de investimento, incluindo empresas e instituições de Ensino Superior, o Governo tem 216 milhões de euros de fundos comunitários.

  • Terceiro período do ensino básico à distância. Exames do secundário adiados

    Coronavírus

    O terceiro período do ano letivo no ensino básico arranca no próximo dia 14, mas sem atividades letivas presenciais e com apoio de transmissões televisivas. Os exames nacionais do 11.º e 12.º anos foram adiados e o ano letivo pode estender-se até 26 de junho. Portugal regista 409 mortes e 13.956 infetados pelo novo coronavírus. Siga aqui ao minuto as últimas informações sobre a pandemia da Covid-19.

    Direto

    SIC Notícias