País

Violência Doméstica: Homem preso por não cumprir proibição de contactar com a vítima

"O arguido já havia sido submetido a primeiro interrogatório judicial, no âmbito do mesmo inquérito, em outubro de 2019, tendo-lhe sido aplicadas, na ocasião, as medidas de coação de proibição de contactos com a vítima e de frequentar a residência da mesma".

O Tribunal de Leiria agravou para prisão preventiva a medida de coação a um homem suspeito de agressão à ex-companheira, por não ter cumprido a proibição de contacto com a mesma.

Em nota publicada na sua página, o Ministério Público de Leiria informa que mandou deter e apresentou a primeiro interrogatório judicial, no dia 05 de março, um arguido, de 48 anos, indiciado da prática do crime de violência doméstica agravada, cometido na pessoa da sua ex-companheira e mãe dos seus filhos, consubstanciado em agressões físicas, verbais e psicológicas contra a mesma.

"O arguido já havia sido submetido a primeiro interrogatório judicial, no âmbito do mesmo inquérito, em outubro de 2019, tendo-lhe sido aplicadas, na ocasião, as medidas de coação de proibição de contactos com a vítima e de frequentar a residência da mesma", esclarece a nota.

No entanto, o tribunal considerou que o arguido violou as obrigações que lhe foram anteriormente impostas, designadamente por ter estabelecido contacto com a vítima, no dia 22 de fevereiro, altura em que a "ameaçou de morte e a empurrou".

Nesse sentido, o juiz determinou que o arguido aguardasse os ulteriores termos em prisão preventiva.

A investigação é dirigida pela Subsecção do Departamento de Investigação e Ação Penal de Leiria especializada em violência doméstica, com a coadjuvação da PSP de Leiria.