País

Ambulância onde seguia Nuno Alpiarça demorou duas horas a chegar ao hospital

Treinador do Sporting acabou por morrer.

As circunstâncias da morte do treinador do Sporting Nuno Alpiarça, que demorou duas horas a ser socorrido pelo INEM, levaram a Sociedade Portuguesa de Emergência Pré-Hospitalar a exigir a intervenção urgente do Ministério da Saúde.

Nuno Alpiarça estava prestes a iniciar mais um treino com um dos vários atletas paralímpicos de nível internacional que orientava quando foi vítima de doença súbita, supostamente uma paragem cardiorrespiratória, mas demorou duas horas a chegar ao hospital.

Agora, dois dias depois, a Sociedade Portuguesa de Emergência Pré-Hospitalar põe em causa o Sistema Integrado de Emergência Médica que diz estar a comprometer o socorro às populações.

A sociedade aponta o dedo aos protocolos de atendimento e acionamento do Centro de Orientação de Doentes Urgentes, o chamado CODU, e garante que não foram cumpridos os protocolos por parte da equipa de Emergência que assistiu o treinador Nuno Alpiarça, numa situação que considera "indefensável" e a justificação do INEM “no mínimo descontextualizada”.