País

Juiz vai terminar instrução do caso Hells Angels na sede da PJ

Kai Pfaffenbach

Por alegada falta de condições do sistema de videoconferência.

O juiz Carlos Alexandre vai concluir o processo Hells Angels em dois auditórios da sede da Polícia Judiciária e não no Tribunal de Monsanto, depois de, na semana passada, ter suspendido o processo por alegada falta de condições no uso do sistema informático de videoconferência Webex, utilizado nos tribunais.

Num despacho a que a SIC teve acesso, o magistrado agendou inquirições a testemunhas entre os dias 22 e 25 de junho e marcou o debate instrutório para os dias 1, 2, 3, 6 e 7 de julho.

O caso Hells Angels

A acusação do Ministério Público sustenta que os 89 arguidos do grupo motard Hells Angels elaboraram um plano para aniquilar um grupo rival, em março de 2018, com recurso à força física e a várias armas para lhes causar graves ferimentos, "se necessário até a morte", incluindo Mário Machado (líder do movimento de extrema-direita Nova Ordem Social), que é assistente no processo.

Os arguidos estão acusados de associação criminosa, tentativa de homicídio qualificado agravado pelo uso de arma, ofensa à integridade física, extorsão, roubo, tráfico de droga e detenção de armas e munições entre outros crimes.