País

Tensão entre polícia e manifestantes depois do despejo de um edifício em Arroios

Seguranças privados tentaram retirar à força as pessoas que ocupavam um prédio que estava a funcionar como centro de apoio a carenciados.

O prédio do antigo Centro Escolar Dr. Salgueiro de Almeida, em Arroios, no centro de Lisboa, estava desocupado há dois anos e desde então várias pessoas foram ocupando o espaço, algumas sem-abrigo com necessidades que se agravaram com a pandemia.

Cerca de uma dezena de seguranças privados entrou esta madrugada neste prédio para despejar as pessoas que ocupavam o edifício.

Eram 5h00 quando os seguranças entraram no edifício que o Seara – Centro de Apoio Mútuo de Santa Bárbara - utiliza para apoiar pessoas carenciadas.

Quando ocuparam o espaço, os voluntários não sabiam quem eram os proprietários do imóvel, mas mais tarde descobriram que foi vendido a uma empresa de imobiliário e depois em parcelas a três pessoas que vivem no estrangeiro.

Enviaram e-mail a várias entidades, entre as quais a Câmara Municipal de Lisboa e a PSP, a informar de que iriam ocupar o espaço e os motivos.

Os voluntários alegam que os seguranças contratados pelos proprietários atuaram à margem da lei e a polícia foi chamada ao local.