País

Emigrantes portugueses detidos no Canadá por suspeitas de abuso de crianças

Polícia de Toronto

O casal dirigia há cerca de 30 anos uma creche.

Um casal sexagenário, identificado por fonte próxima como sendo português, foi detido no Canadá por alegadas suspeitas de abuso sexual de duas crianças, anunciou na segunda-feira a polícia de Toronto, em comunicado.

As autoridades não confirmam a nacionalidade dos suspeitos, mas uma fonte próxima do casal, que não se quis identificar, confirmou à Lusa que ambos são emigrantes portugueses a residir no Canadá.

O comunicado publicado no website da polícia de Toronto identifica os suspeitos, ambos com nomes portugueses, indica a idade, 63 anos e 60 anos, e divulga a fotografia de ambos.

Segundo a nota, o homem foi detido no dia 28 de maio e indiciado pela prática de interferência sexual, convite para toque sexual e abuso sexual.

No dia 03 de junho, uma segunda vítima, apresentou queixa na polícia, com as autoridades a indiciarem o suspeito por nova interferência sexual, convite a toque sexual, abuso sexual e de tornar disponível material explícito de natureza sexual para um menor de 16 anos.

A mulher, a ama das crianças, foi detida em 04 de junho, e está a ser indiciada por alegadamente ter conhecimento do abuso sexual e de falhar em proteger as necessidades básicas para a vida de uma criança ao não denunciar o abuso, colocando em risco a saúde das crianças. O casal dirigia há cerca de 30 anos uma creche, localizada na área da Caledonia Park Road e da Davenport Road, numa área onde reside uma grande comunidade portuguesa.

Entre 2017 e 2020, o homem abusou sexualmente uma menina de nove anos por diversas vezes, alega a polícia. Entre 2016 e 2020, terá alegadamente abusado de uma outra menina de 11 anos, por várias ocasiões, acrescenta-se no comunicado.

A mulher terá a audiência em primeira instância no tribunal de Toronto na Old City Hall, no dia 10 de agosto, enquanto o homem será ouvido em 13 de agosto.

A polícia de Toronto teme que possa haver mais vítimas e está a pedir a ajuda da população.