País

Cofre vai preservar os micróbios da humanidade

Investigadores do Instituto Gulbenkian de Ciência estão envolvidos num projeto inovador, que tem como objetivo preservar micróbios para as gerações futuras.

Ao longo do último século a humanidade tem vindo a perder a diverdade de micróbios no organismo.

Um problema que afeta sobretudo os países do ocidente por causa da alimentação mais processada.

Já as populações latino-americanas, ou africanas têm hábitos alimentares mais tradicionais e por isso, têm também uma maior diversidade de micróbios do organismo.

Os micróbios são cruciais na saúde para resolver problemas, como por exemplo, a obesidade.

Para preservar os micróbios da humanidade, dezenas de cientistas e institutos, ente eles, o Instituto Gulbenkian de Ciência, em Oeiras, criaram o projeto "Arca de Noé" que tem o objetivo de guardar micróbios para as gerações futuras.

Devido à pandemia os primeiros passos do projeto estão atrasados.

Sabe-se para já, queo cofre com diversas coleções de micróbios vai ser instalado na Noruega e na Suíça.