País

Seis detidos em desmantelamento de rede de comércio que envolve grupo Jerónimo Martins

Rafael Marchante

Cerca de 70 a 80 empresas envolvidas na rede.

Seis pessoas foram detidas esta terça-feira no cumprimento de diversos mandados de busca e de detenção numa operação da GNR articulada com a Direção de Finanças do Porto e com o apoio da Europol e da Eurojust.

A Operação "HINDOLA" conta com o reforço de militares dos Comandos Territoriais da GNR do Porto, Braga, Aveiro e Évora, e da Direção de Investigação Criminal (DIC) da GNR, estando a ser empenhados 197 militares da GNR e 40 elementos da AT.

O grupo Jerónimo Martins é um dos que está a ser investigado, nomeadamente os supermercados Recheio a nível nacional. De acordo com a GNR, no total estão envolvidas na operação cerca de 70 a 80 empresas.

Operação Hindola

A investigação, que decorre há cerca de um ano, identificou um esquema de fraude organizada, de dimensão transnacional, baseado na criação de empresas "fantasma" e na criação de circuitos de faturação fictícios, que visavam a evasão ao IVA e a obtenção indevida de reembolsos, com recurso a utilização fraudulenta do regime do IVA nas transações intracomunitárias.

Num comunicado, a Unidade de Ação Fiscal da Guarda Nacional Republicana, esclareceu:

Além de defraudar o Estado Português, os referidos bens foram colocados no mercado abaixo do preço de custo, gerando uma concorrência desleal entre operadores e uma adulteração grave do mercado nacional nesses setores.

Na mesma nota, é avançado que os arguidos obteram uma vanagem patrimonial ilegítima de 4,2 milhões de euros. Estão indiciados dos crimes de de fraude qualificada, introdução fraudulenta no consumo qualificada, associação criminosa, branqueamento, corrupção ativa e passiva, e prevaricação e denegação de justiça.

A GNR, com o apoio das diversas entidades internacionais envolvidas na operação, dá cumprimento a:

  • 77 mandados de busca domiciliários e 58 não domiciliários em território nacional;
  • sete mandados de busca não domiciliários em Espanha;
  • seis mandados de detenção fora de flagrante delito em território nacional;
  • dois mandados de detenção europeus no Reino-Unido.