País

Primeiro-ministro lamenta morte de bombeiro Diogo Dias

O primeiro-ministro, António Costa, participa no debate parlamentar sobre o Estado da Nação, na Assembleia da República, em Lisboa

MÁRIO CRUZ

Jovem de 21 anos morreu após despiste do veículo dos bombeiros.

O primeiro-ministro, António Costa, lamentou este domingo a morte do bombeiro Diogo Dias, da corporação de Proença-a-Nova, distrito de Castelo Branco, que combatia o incêndio que deflagrou no sábado em Oleiros.

"Foi com tristeza que recebi a notícia do falecimento de Diogo Dias, bombeiro voluntário da corporação de Proença-a-Nova, no decurso de um acidente de viação durante as operações de combate a um incêndio na região de Oleiros. Aos bombeiros feridos no mesmo acidente desejo as rápidas melhoras", lê-se numa nota divulgada pelo gabinete do primeiro-ministro.

António Costa dirige "aos bombeiros e a todos quanto estão empenhados no combate aos incêndios uma palavra de solidariedade, incentivo e agradecimento pelo trabalho que realizam por Portugal".

"Envio à família e amigos assim como à corporação dos bombeiros voluntários de Proença-a-Nova os meus sentimentos e de todo o Governo", acrescenta o primeiro-ministro, na mesma nota.

O bombeiro Diogo Dias, de 21 anos, ficou desaparecido na sequência de um acidente com a viatura em que seguia com outros elementos da sua corporação, que capotou, provocando também um ferido grave e três feridos ligeiros.

O incêndio em Oleiros, no distrito de Castelo Branco, deflagrou no sábado à tarde e alastrou-se a concelhos vizinhos.

Permanecem no combate às chamas 429 operacionais de corporações de vários distritos, apoiados por 136 viaturas.