País

"Marido ficou e não há quem o tire de lá". Mais de 400 bombeiros combatem fogo na Covilhã 

Rita Rogado

Rita Rogado

Jornalista

Uma casa isolada onde vivem dois idosos foi ameaçada pelas chamas ao final da tarde de quinta-feira. A mulher saiu de casa voluntariamente, mas o marido, de 82 anos, resistiu ao conselho das autoridades. Diz que quer salvaguardar os bens materiais e os animais. 

O incêndio na Covilhã continua ativo e alastra em direção à freguesia de Casegas. O vento forte e os difíceis acessos devido aos vales da região têm dificultado o combate às chamas, que mobilizou esta noite mais de 400 operacionais.

O fogo de grandes proporções saíu da zona de Sobral de São Miguel e, ao final da tarde, esteve próximo de uma casa isolada onde vivem dois idosos. Foram aconselhados pelas autoridades a sair de casa por precaução. A mulher, de 82 anos, saiu voluntariamente com a filha. No entanto, o marido, de 82 anos, continuou na habitação. Alega que quer salvaguar os animais e os bens materiais da família. À SIC, a mulher contou que têm muitos animais na propriedade.

O reacendimento aconteceu durante a tarde, depois do incêndio que começou na quarta-feira na aldeia de Sobral de São Miguel ter sido dado como dominado. Permaneciam ainda no terrano cerca de 500 bombeiros nas operações de rescaldo.