País

Colégios avisam que não farão descontos caso tenham que suspender aulas

Novas cláusulas nos contratos de inscrição já estão a ser comunicadas.

Há colégios privados que estão a informar os encarregados de educação que no próximo ano letivo não farão descontos nas mensalidades caso tenham que voltar as suspender as aulas presenciais por causa da pandemia.

As novas cláusulas nos contratos de inscrição já estão a ser comunicadas e estão a ser contestadas por alguns pais.

É o caso do Colégio Novo da Maia. O regulamento diz que “caso as autoridades públicas imponham períodos de suspensão das atividades presenciais, diminuição do currículo ou modo como os estabelecimentos de ensino prestam o serviço, não haverá redução da anuidade".

A direção do colégio justifica esta condição com o impacto financeiro necessário para fazer face à pandemia e com os bons resultados escolares dos alunos.

De acordo com a Associação de Estabelecimentos de Ensino Particular e Cooperativo, entre março e junho, cerca de metade dos 500 colégios associados aceitaram fazer descontos face à suspensão das aulas presenciais, sobretudo os do ensino pré-escolar.

Os restantes não deram possibilidade de redução das anuidades, apenas não cobraram os serviços complementares como o transporte ou a alimentação.