País

Temperaturas podem chegar aos 43 graus. Algarve e interior Norte e Centro com risco máximo de incêndio

Portugal continental está em situação de alerta face à previsão de "um significativo agravamento do risco de incêndio rural".


Toda a região interior do Norte e Centro e alguns concelhos do Algarve estão hoje em risco máximo de incêndio, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera, num dia em que Portugal continental está novamente em situação de alerta. No interior, as temperaturas podem chegar aos 43 graus.

Até ao final do dia de amanhã, Portugal Continental está em situação de alerta por causa do risco elevado de incêndio.

Para além de estar proibido "o acesso, circulação e permanência" em espaços florestais definidos pelo municípios, há outras limitações, como explicou à SIC o comandante operacional da Proteção Civil, Duarte da Costa.

O Governo decretou na quarta-feira situação de alerta em todo o território de Portugal continental devido à ativação do estado de alerta especial de nível vermelho para os distritos de Bragança, Guarda, Vila Real, Beja, Castelo Branco, Faro e Viseu.

No comunicado em que anunciou a situação de alerta, o Ministério da Administração Interna adiantou igualmente que os distritos Aveiro, Braga, Coimbra, Évora, Leiria, Portalegre, Porto, Santarém e Viana do Castelo estarão em estado de alerta especial de nível laranja e Lisboa e Setúbal com nível amarelo.

Em situação de alerta é proibida a realização de queimadas e o uso de fogo de artifício ou de outros artefactos pirotécnicos, e é proibido o acesso, circulação e permanência em espaços florestais “previamente definidos nos Planos Municipais de Defesa da Floresta Contra Incêndios”.

Também não são permitidos trabalhos florestais e rurais com equipamentos elétricos em espaços, como motorroçadoras, corta-matos, destroçadores e máquinas com lâminas ou pá frontal.

A declaração de situação de alerta implica a elevação do grau de prontidão e resposta operacional da GNR e da PSP, das equipas de emergência médica, saúde pública e apoio psicossocial e a mobilização em permanência das equipas de sapadores florestais e do Corpo Nacional de Agentes Florestais e dos Vigilantes da Natureza.

Por causa do agravamento dos riscos de incêndio, a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) emitiu um aviso à população, recordando que é proibido estar em espaços florestais.

Concelhos em risco máximo e muito elevado de incêndio

Quanto ao risco de incêndio, definido pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), é máximo em mais de uma centena de concelhos nos distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto, Vila Real, Bragança, Guarda, Castelo Branco, Viseu, Coimbra, Leiria, Santarém e Portalegre.

Em risco muito elevado estão mais de 50 concelhos dos distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto, Vila Real, Aveiro, Leiria, Santarém, Portalegre, Beja e Faro, enquanto em risco elevado vai estar toda a região do Alentejo, o distrito de Setúbal e cerca de 30 concelhos nos distritos de Faro, Lisboa, Santarém, Leiria, Coimbra, Aveiro e Porto.

O risco de incêndio definido pelo IPMA é calculado a partir da temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas. Tem cinco níveis, que vão de reduzido a máximo.

  • 34:18