País

Incêndio no Fundão. Dois bombeiros feridos no combate às chamas

Fogo varreu um pinhal, sem atingir habitações, e as autoridades destacam esforço das populações na limpeza dos perímetros das aldeias.

O incêndio no Fundão começou na quinta-feira nos arredores de Bogas de Baixo.

A meio da noite havia duas frentas ativas, mas ao início da manhã, o fogo estava em fase de resolução. Foram mais de 400 operacionais que andaram ao rumo incerto das chamas, mais uma centena de veículos e ainda meios aéreos.

A estrada nacional 238 esteve cortada e uma praia fluvial, em Janeiro de Cima, teve de ser evacuada.

No combate às chamas dois bombeiros ficaram feridos, um pinhal foi consumido pelas chamas, mas as habitações foram salvaguardadas.

SITUAÇÃO DE ALERTA PROLONGADA ATÉ DOMINGO

O Governo anunciou esta sexta-feira o prolongamento "até ao final de domingo" da declaração de situação de alerta em todos os distritos de Portugal continental, face ao risco de incêndio rural, apelando ao cumprimento da proibição do uso do fogo.

"As próximas 48 horas continuam a inspirar cuidado, inspiram atenção, vamos manter alguns distritos em alerta vermelho e também outros em alerta laranja. Fruto disso, a decisão foi de prolongar a declaração de situação de alerta a todo território nacional [continental] até ao final do dia de domingo", afirmou a secretária de Estado da Administração Interna.

QUAIS SÃO AS PROIBIÇÕES EM SITUAÇÃO DE ALERTA?

Em situação de alerta é proibida a realização de queimadas e o uso de fogo de artifício ou de outros artefactos pirotécnicos e é proibido o acesso, circulação e permanência em espaços florestais "previamente definidos nos Planos Municipais de Defesa da Floresta Contra Incêndios".

Também não são permitidos trabalhos florestais e rurais com equipamentos elétricos em espaços, como motorroçadoras, corta-matos, destroçadores e máquinas com lâminas ou pá frontal.