País

Costa quer desempregados do turismo no setor social. Sindicatos do turismo consideram uma "leviandade" 

Trabalhadores e empresários recusam dar como perdida a retoma do turismo.

Empresários e trabalhadores do Turismo criticam António Costa por sugerir que os desempregados desta área passem a trabalhar nos lares.

O primeiro-ministro deixou a ideia numa cerimónia com instituições sociais, ontem, antes de ter sido conhecida a taxa de desemprego de julho.

"Uma palavra final sobre o emprego. Como todos sabemos um dos setores mais atingidos por esta crise económica e que mais duramente vai ser atingido por esta crise económica é, por exemplo, o setor do turismo", referiu o chefe do executivo socialista.

De acordo com o primeiro-ministro, "muitos dos milhares de pessoas que neste momento estão a perder o emprego no setor do turismo são pessoas que já têm uma formação de base, que já têm uma experiência de cuidado pessoal, de relacionamento pessoal".

"São um recurso fundamental para, com formação naturalmente, poderem ser facilmente reconvertidas para continuar a trabalhar com pessoas agora nas instituições em que estão associadas nas IPSS [Instituições Particulares de Solidariedade Social], nas mutualidades, nas misericórdias ou nas cooperativas", propôs.