País

Empresas portuguesas vigiam de forma oculta funcionários em teletrabalho

Sem que o trabalhador saiba, é instalado um programa informático que permite saber em tempo real todos os passos que o funcionário dá.

As empresas portuguesas estão a vigiar os trabalhadores que estão em teletrabalho. A pandemia de Covid-19 fez aumentar o recurso a programas ocultos de vigilância remota, uma prática ilegal que raramente chega a tribunal.

Em Portugal e em grande parte dos países europeus, o recurso a meios tecnológicos ocultos de vigilância é ilegal, mas existem às centenas e são de fácil acesso.

As empresas que fornecem este tipo de software apresentam-se como soluções de desempenho e produtividade e embora possam ter também essa componente, grande parte recolhe em excesso dados dos trabalhadores, promovendo o controlo do trabalho de uma forma excessiva e que não está legitimada.