País

Contratação para o SNS. Medicina interna é a área que vai receber o maior reforço

Concurso representa um aumento de 9,6% dos postos de trabalho face ao ano passado.

A medicina interna é a área hospitalar que vai receber o maior reforço no âmbito dos concursos para a contratação de 950 médicos para o Serviço Nacional de Saúde (SNS), anunciou este sábado o Ministério da Saúde.

O despacho com a distribuição do contingente das 950 vagas do concurso de 1.ª época dos recém-especialistas nas áreas hospitalares (911) e de saúde pública (39) foi publicado, esta sexta-feira, em Diário da República.

No mesmo dia, foi também divulgado o aviso com a abertura do concurso para o recrutamento de pessoal médico para a categoria de assistente da carreira especial médica e da carreira médica dos estabelecimentos de saúde de entidade pública empresarial, integrados no SNS.

Em comunicado, o ministério tutelado por Marta Temido precisou que, do total das 911 vagas para as áreas hospitalares, 151 correspondem à medicina interna, 68 à anestesiologia, 63 à pediatria médica, 49 à psiquiatria, 47 à cirurgia geral, 43 à ortopedia, 31 à ginecologia/obstetrícia e 30 à pneumologia.

Entre as áreas com o maior número de postos de trabalho estão também a neurologia (29), radiologia (29), medicina física e de reabilitação (28), oncologia média (26), cardiologia (25), oftalmologia (24), otorrinolaringologia (22) e patologia clínica (21).

Ainda entre as áreas com maiores vagas figuram a gastrenterologia (19), endocrinologia e nutrição (17), doenças infecciosas (15), nefrologia (14), dermatovenereologia (13), urologia (12), hematologia clínica (11), anatomia patológica (11), imuno-hemoterapia (11), psiquiatria de infância e de adolescência (11) e reumatologia (10).

Seguem-se as áreas de estomatologia (nove), neurocirurgia (oito), radioncologia (oito) medicina no trabalho (sete), angiologia e cirurgia vascular (sete), neurorradiologia (sete), imunoalergologia (seis), cirurgia plástica, reconstrutiva e estética (seis), medicina nuclear (cinco), cirurgia pediátrica (cinco) e cirurgia maxilo-facial (quatro).

No final da tabela aparecem a cardiologia pediátrica (três), cirurgia cardíaca (duas), cirurgia torácica (duas), farmacologia clínica (uma) e genética média (uma).

De acordo com os dados avançados pelo executivo, este concurso representa um aumento de 9,6% dos postos de trabalho face ao ano passado e um acréscimo de 30% nas vagas em comparação com a primeira época de 2016.

"A abertura deste concurso vai ao encontro do programa do XXII Governo Constitucional, designadamente, fortalecimento do Serviço Nacional de Saúde e da sua capacidade de resposta às necessidades da população, através da melhoria do acesso e da qualidade, equidade e universalidade dos serviços prestados, do reforço dos recursos humanos do SNS, particularmente, do recrutamento de médicos", notou o Ministério da Saúde.

O Governo sublinhou ainda que quer dotar a rede pública de serviços de saúde de pessoal médico, em particular, os estabelecimentos mais periféricos, não especificando quais são as unidades em causa.

Este concurso, conforme destacou o ministério, teve ainda em conta a situação epidemiológica do país e as consequentes exigências de resposta do SNS.

Na quarta-feira, Marta Temido tinha anunciado a publicação dos concursos para a contratação de 950 médicos para o SNS.

Questionada, na altura, sobre as queixas de alguns hospitais do país de falta de médicos, nomeadamente em Beja, Évora, Santa Maria da Feira e Santarém, a ministra garantiu que têm sido acompanhadas as dificuldades de algumas instituições relacionadas com a carência de profissionais e em especial em algumas especialidades, como a pediatria.

  • "Quando estou com os avós sinto-me feliz"

    Desafios da Mente

    As investigações apontam que as crianças que têm avós envolvidos na prestação de cuidados podem ter melhores índices de saúde mental, como uma redução do risco de sintomas depressivos e de comportamentos desviantes, bem como melhor desenvolvimento cognitivo. Em Portugal, o Dia dos Avós celebra-se a 26 de julho. A data foi instituída pela Assembleia da República, em 2003.

    Mauro Paulino