País

Jerónimo garante disponibilidade para continuar na lidarança do PCP

"Partido pode contar comigo até eu poder".

Jerónimo de Sousa diz que o PCP pode contar com ele, enquanto puder. O secretário-geral dos comunistas terá desfeito assim o tabú sobre a continuidade à frente do partido depois do próximo congresso.

Quanto às eleições presidênciais, Jerónimo garantiu que o partido vai anunciar o candidato este mês, mas não na Festa do Avante!, nem na semana que vem.

O desafio de Jerónimo de Sousa a Marcelo: "Ver para crer, em vez de fazer juízos de valor"

O secretário-geral do PCP acusa Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República, de ter feito juízos de valor, ao dizer que estava menos otimista que a Direção-Geral da Saúde em relação à Festa do Avante!.

"É ver para crer, em vez de fazer juízos de valor, que eu considero precipitados. Ou não, talvez queira dar uma mãozinha ao seu partido, que tem encabeçado esta campanha violenta contra a Festa do Avante!", acusou Jerónimo de Sousa.

"O Presidente da República deveria fazer aquilo que [já] fez e visitar a festa - não é novidade, como é sabido".

Na sexta-feira, o Presidente da República confessou-se "menos otimista" do que a Direção-Geral da Saúde e do que o PCP quanto à realização do evento, acrescentando tratar-se de um problema de "avaliação política".

Marcelo responde a Jerónino. "Perceção que a opinião pública tem" é o "problema" da Festa do Avante!

Marcelo Rebelo de Sousa disse que o "problema" da Festa do Avante! "é a perceção que a opinião pública tem em relação ao acontecimento".

O Presidente da República admitiu que gostava de estar errado em relação às expectativas que tem para a Festa do Avante! e respondeu ainda ao convite de Jerónimo de Sousa para visitar o recinto.

Orçamento do Estado. Jerónimo de Sousa diz que acordo com PS é "dispensável"

O secretário-geral comunista considerou hoje que um acordo escrito com o Governo minoritário socialista é "claramente dispensável", ressalvando que o PCP aguarda pelo próximo Orçamento do Estado e está disponível para "dar a sua contribuição".

De visita a uma das exposições da 44.ª Festa do Avante!, no Seixal (distrito de Setúbal), e questionado sobre um possível acordo escrito entre o partido e o executivo socialista, Jerónimo de Sousa considerou essa formalização - registada em 2015 - desnecessária.

"Por nós o papel seria perfeitamente dispensável. Só aconteceu [em 2015] devido à insistência do então Presidente da República, que queria o papel, queria o papel, queria o papel, queria o papel", argumentou o secretário-geral, referindo-se a Cavaco Silva.

  • 3:13