País

"Queriam calar-nos. Não o conseguiram". O discurso de Jerónimo no encerramento da Festa do Avante!

O secretário-geral do PCP ainda desvaloriza as declarações do primeiro-ministro sobre uma possível crise política.

Jerónimo de Sousa disse este domingo no tradicional comício de encerramento da Festa do Avante! que queriam calar o Partido Comunista, mas não conseguiram.

O secretário-geral do PCP assegurou que as normas de segurança foram cumpridas nos três dias da iniciativa.

No discurso de encerramento da Festa do Avante!, o secretário-geral do PCP louvou o facto de o festival se ter realizado.

Jerónimo de Sousa acabou por criticar quem promoveu a polémica em torno da festa.

O secretário-geral do partido comunista desvalorizou as declarações do primeiro-ministro, António Costa, acerca de uma possível crise política.

Quanto ao Orçamento do Estado, Jerónimo de Sousa disse que para o próximo ano deve ser feito para acudir às consequências da pandemia provocada pelo novo coronavírus.

Durante o discurso de encerramento do evento, o secretário-geral do PCP ainda acusou os partidos o PS e PSD de fazerem conluio no Parlamento.

Mas as acusações não ficaram pelos partidos e foram mais longe. Marcelo Rebelo de Sousa também foi alvo das críticas de Jerónimo, que acusou o Presidente da República de promover essa aliança dos partidos centristas.