País

Adolescente resgatado na segunda-feira do mar na praia da Tocha está fora de perigo

Jovem está internado no serviço de Pediatria "com evolução favorável e sem data prevista de alta".

Um rapaz de 14 anos que foi na segunda-feira resgatado por surfistas do mar na praia da Tocha, Cantanhede, em paragem cardiorrespiratória e reanimado no areal, está fora de perigo e com evolução favorável, disse fonte hospitalar.

Fonte do gabinete de comunicação do Hospital Distrital da Figueira da Foz (HDFF) disse à agência Lusa que o jovem se mantém internado no serviço de Pediatria "com evolução favorável e sem data prevista de alta".

O rapaz deu entrada ao início da tarde de segunda-feira na unidade hospitalar em situação considerada grave, depois de ter sido arrastado por uma onda e resgatado por surfistas, numa zona não vigiada a sul da praia da Tocha, indicou, na altura, a Autoridade Marítima.

Na mesma ocasião, outro jovem de 14 anos acabaria por morrer depois de ter estado desaparecido, dentro de água, cerca de 30 minutos, num período que mediou entre o alerta, dado às 13:21 de segunda-feira, e o seu avistamento.

De acordo com informação disponibilizada pela Autoridade Marítima Nacional, o alerta para dois banhistas em dificuldades foi recebido através do Centro de Coordenação de Busca e Salvamento Marítimo de Lisboa (MRCC Lisboa), tendo "de imediato" sido ativadas para o local uma embarcação e uma mota de água da estação salva-vidas da Figueira da Foz, duas viaturas Amarok do projeto "Sea Watch", o piquete da Polícia Marítima e dois elementos do programa Praia Segura.

Os meios de socorro incluíram ainda uma Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), uma ambulância da mesma entidade e outra dos bombeiros voluntários de Cantanhede, para além de nadadores-salvadores de uma praia próxima.

As duas vítimas integravam um grupo mais alargado, oriundo de uma instituição de apoio a jovens da zona de Coimbra, que foi acompanhado no local por um psicólogo do INEM.