País

Governo estima atingir 80 mil bolseiros no Ensino Superior

O acesso às bolsas vai ser simplificado.

Pela primeira vez, este ano o valor das bolsas no Ensino Superior vai ser maior que a propina.

O ministro Manuel Heitor anunciou esta quinta-feira numa inciativa da Federação Académica do Porto que o número de estudantes bolseiros também vai aumentar para pelo menos 80 mil.

No ano passado, cerca de 72 mil estudantes do ensino superior tiveram direito a uma bolsa e, segundo estimativas do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES), esse número deverá rondar os 80 mil alunos no novo ano letivo que está prestes a começar.Uma das razões para este aumento prende-se com as novas regras, que agora passam a abranger mais alunos.

No novo ano letivo, os estudantes de famílias com um rendimento de 8.962 euros anuais 'per capita' passam a ter direito a bolsa. Este teto representa um aumento de 878 euros 'per capita' em relação ao ano passado.

O complemento para o alojamento local vai ser reforçado.

O complemento de alojamento para os alunos que não conseguem uma vaga nas residências dos serviços de ação social sobe este ano para 219 euros mensais nas zonas onde o mercado do arrendamento não está tão inflacionado, podendo chegar aos 285 euros.

Os estudantes que procurem casa nos concelhos de Lisboa, Cascais e Oeiras - onde o valor médio de um quarto é mais elevado - poderão ter um apoio de 285 euros. Já nas zonas do Porto, Amadora, Almada, Odivelas e Matosinhos, o apoio é de 263 euros. Com menos 22 euros mensais ficam os estudantes que procurem um quarto em Coimbra, Aveiro, Braga, Vila Nova de Gaia, Barreiro, Faro e Portimão e Funchal. Já nos restantes concelhos do país, o valor do complemento de alojamento para o atual ano letivo será de 219 euros.

Foram também criadas condições para que os estudantes que, por motivos curriculares, tenham de ser duplamente deslocados possam ter um apoio para o alojamento. Esta situação aplica-se aos estágios e práticas clínicas fora da área da residência e da área geográfica da instituição.

Neste novo ano letivo, a bolsa de estudo volta a subir, sendo o valor mais baixo de 871 euros, já as propinas estão nos 697 euros.

Governo atribui quase cinco mil vagas adicionais a cursos do ensino superior

A primeira fase do concurso nacional de acesso ao ensino supeior terminou a 23 de agosto, mas por causa das mais de 62 mil candidaturas, os alunos que concorreram vão poder mudar as opções que tinham escolhido.

O Governo decidiu atribuir mais 4.700 vagas a vários cursos.

  • 1:44