País

Francisco Rodrigues dos Santos: "Se recuarmos, morremos. Então por que não avançamos?"

Presidente do CDS avisa que se avisa que se o partido não crescer, há risco da direita passar a ser extremista.

Francisco Rodrigues dos Santos encerra a escola de quadros da Juventude Popular, em Oliveira do Bairro, distrito de Aveiro, numa iniciativa que assinala a rentrée do partido no novo ano político.

No discurso da rentrée do partido, o líder centrista criticou o PS, mas também o PSD, atacando o bloco central e recusando a ideia de que o CDS está a morrer.

"O CDS é o travão ao bloco central."