País

Portuguesa morre no hospital após ser agredida em assalto na África do Sul

(Arquivo)

Rogan Ward

Mulher foi assaltada e violada.

Uma portuguesa de 63 anos foi violentamente agredida num assalto à mão armada à sua residência no norte do KwaZulu-Natal, África do Sul, acabando por morrer no hospital, disse na segunda-feira o cônsul honorário de Portugal em Durban.

Segundo Elias de Sousa, "vários indivíduos assaltaram a casa" da mulher, que foi violada, tendo sido transportada ainda com vida para o hospital, onde acabou por morrer.

O cônsul honorário adiantou à agência Lusa que o crime ocorreu na semana passada, tendo a cidadã portuguesa morrido no sábado.

O cônsul honorário de Portugal em Durban explicou que a vítima, Filomena Santos, residia em Vryheid, uma pequena cidade mineira a cerca de 350 quilómetros a norte de Durban, capital da província litoral do KwaZulu-Natal.

"No passado havia lá alguns portugueses, recentemente há muito poucos e daí a dificuldade em recebermos notícias atuais", salientou.

De acordo com Elias de Sousa, a família da vítima era natural de Leiria, na região Centro de Portugal, como também revelou o Jornal da Madeira, que avançou com a notícia

"Os pais eram de Leiria e é muito natural que [Filomena Santos] tivesse nascido cá [na África do Sul]", referiu, acrescentando que Filomena Santos e a mãe "estão registadas aqui no consulado em Durban".

O cônsul honorário reconheceu que a "maior preocupação neste momento é o funeral" da mulher, que "vivia sozinha" e com "muitas dificuldades".

"Duas senhoras que vieram cá ao consulado lamentaram o facto de saberem que a senhora precisava de ser ajudada, mas que ela não queria receber nada da comunidade portuguesa", referiu Elias de Sousa.

Contactado pela Lusa, o comandante da esquadra da Polícia de Vryheid, B.B. Ndlovu, disse hoje não ter registo do crime.

"Desconheço a ocorrência não foi reportado à nossa esquadra", salientou à Lusa o agente policial sul-africano.