País

Portugal defende "sociedades livres e tolerantes que rejeitam o racismo e populismo"

As ideias-chave defendidas por António Costa na Assembleia-Geral da ONU.

Portugal rejeita uma sociedade racista, xenófoba e homofóbia e defende uma sociedade tolerante, afirmou esta sexta-feira o primeiro-ministro António Costa numa intervenção na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas.

Para o representante do Executivo português, o país defende a liberdade de expressão e a discussão aberta e crítica, bem como a igualdade de género e a inclusão.

Refugiados: "Temos desempenhado papel ativo no acolhimento"

Reafirmou ainda o apoio português ao pacto global para as migrações ordenadas, seguras e regulares e aproveitou o momento para lembrar que Portugal estendeu o acesso ao Serviço Nacional de Saúde (SNS) a todos os migrantes e refugiados.

Neste âmbito, o primeiro-ministro disse que a pandemia colocou novas exigências às proteção dos Direitos Humanos e que Portugal tem desempenhado um papel ativo no acolhimento de migrantes e refugiados.

Conflitos mundiais: "Acompanhamos esforço da comunidade internacional"

O primeiro-ministro apelou a soluções políticas e pacíficas para os conflitos mundiais, dando como exemplo o israelo-palestiniano, as crises na Síria, na Líbia e na Vanezuela.

Na Assembleia Geral da ONU, afirmou que Portugal apoia António Guterres no apelo a um cessar-fogo imediato e mundial.