País

Homicídio de professora no Montijo. Supremo confirma penas de Diana Fialho e Iuri Mata

Notícia SIC

Condenados a 24 e 23 anos de prisão.

O Supremo Tribunal de Justiça decidiu manter as penas de 24 e 23 anos de prisão para Diana Fialho e Iuri Mata, condenados pelo homicídio e profanação do cadáver de Maria Amélia Fialho - mãe adotiva e sogra dos dois arguidos.

Diana e Iuri, de 23 e 27 anos de idade, foram condenados em primeira instância em julho do ano passado. O tribunal deu como provado que o casal, de forma premeditada, matou a vítima com golpes de martelo e ateou depois fogo ao corpo.

Ficou também provado que os dois arguidos cometeram o crime com intenção de ficar com o património de Amélia Fialho, professora de 59 anos, do Montijo.

Num acórdão com data desta quarta-feira, a que a SIC teve acesso, o Supremo decidiu também confirmar a indignidade sucessória de Diana Fialho, que assim ficará sem direito à herança.

Os pormenores do assassinato da professora do Montijo

A SIC percorreu os passos do casal que assassinou uma professora no Montijo e mostra-lhe como Diana Fialho e Iuri Mata foram apanhados pela Judiciária de Setúbal. O crime aconteceu no dia 1 de setembro, mas o funeral só se realizou esta quinta-feira, 13 dias depois.

  • Quem és tu, César?

    Extremos

    Quando a investigação da SIC percebeu que a vida publicada de César do Paço poderia ser fruto da imaginação do protagonista, fizemos alguns esforços para conhecer a verdadeira face do empresário. O essencial dessas descobertas será revelado na Grande Reportagem "Cifrões e outros demónios, 2ª edição", último episódio da série "A Grande Ilusão", mas o detalhe dos dois doutoramentos revelamo-lo já aqui.

    Pedro Coelho

  • 0:23