País

Marcelo admite que crise pode durar anos, mas garante que não será resolvida com ditaduras

Presidente da República deixa críticas a quem procura tirar proveito próprio de um estado excecionalmente dificil.

O Presidente da República pede convergência no essencial para superar a crise sanitária e economia no país.

Marcelo Rebelo de Sousa deixou esta mensagem na cerimónia comemorativa do 110.º aniversário da Implantação da República, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, em Lisboa, defendendo que é preciso "continuar a compatibilizar a diversidade e o pluralismo com a unidade no essencial".

"O que nos diz este 5 de Outubro é que temos de continuar a resistir, a prevenir, a cuidar, a inovar, a agir em liberdade, a saber compatibilizar a diversidade com a convergência no essencial, a sobrepor o interesse coletivo aos meros interesses pessoais", afirmou.

No discurso do 5 de Outubro, Marcelo Rebelo de Sousa admite que o período de crise pode durar anos, mas garante que não será resolvido com ditaduras. Diz mesmo que não são a solução para esta crise e que as diferenças devem ser respeitadas.

"Temos de continuar a compatibilizar e vamos continuar a compatibilizar a diversidade e o pluralismo com a unidade no essencial."

  • Covid-19. Conselho de Ministros anuncia hoje novas medidas

    Coronavírus

    Portugal regista este sábado um novo máximo de internados em cuidados intensivos. O Conselho de Ministros está reunido e vai decretar "ações imediatas" de controlo da pandemia. O recolher obrigatório é uma das propostas do Governo. Os EUA continuam a ser o país mais afetado pela Covid-19. No Mundo há registo de mais de 45 milhões de infetados e 1,1 milhões de mortes.

    Ao Minuto

    SIC Notícias