País

Eleições para a presidência das CCDR marcadas por forte contestação 

Francisco Carvalho

Francisco Carvalho

Editor de Imagem

À exceção do Alentejo, houve quatro candidatos únicos escolhidos por PS e PSD. Houve partidos a apelar ao boicote e à votação em branco.  

No Alentejo, a única Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional com dois candidatos, António Ceia da Silva, apoiado pelo PS, venceu por 94 votos. Derrubou assim o atual presidente, Roberto Grilo, que entrou na corrida como independente.

Nas restantes quatro regiões do continente, as eleições desta terça-feira confirmaram os candidatos que PS e PSD escolheram.

As CCDR do Norte e Centro ficam nas mãos do PSD. Algarve, Alentejo, Lisboa e Vale do Tejo estão entregues ao PS.

Foi a primeira vez que os candidatos foram a votos. Até aqui a nomeação era feita pelo Governo.

Mas o ato eleitoral ficou marcado por fortes críticas dos vários partidos, alguns até apelaram ao boicote.

O CDS e a Iniciativa Liberal acusaram Rio e Costa de usarem estas comissões como meras "extensões de interesses partidários". O Bloco de Esquerda e PCP assumiram o voto em branco, contra um processo consideram que impede uma efetiva descentralização. O movimento independente de Rui Moreira classificou as eleições de "uma farsa".

Ao todo, foram chamados a votar mais de dez mil autarcas. O Governo considerou que a eleição decorreu com normalidade.

  • Covid-19. Conselho de Ministros anuncia hoje novas medidas

    Coronavírus

    O Conselho de Ministros reúne-se para decretar "ações imediatas" de controlo da pandemia. O recolher obrigatório é uma das propostas apresentadas pelo Governo aos partidos esta 6ª feira. Os EUA ultrapassaram os 9 milhões de casos de Covid-19. Protestos violentos em vários países contra as medidas de combate à pandemia.

    Ao Minuto

    SIC Notícias