País

Ministra nega interferência política na escolha do procurador europeu 

Portugal não seguiu sugestão do júri internacional.  

A ministra da Justiça garantiu esta quarta-feira no Parlamento que a polémica escolha do procurador europeu não teve qualquer interferência política, tendo respeitado unicamente a decisão do Conselho Superior do Ministério Público.

Francisca Van Dunen foi ouvida a pedido do PSD, numa comissão onde os restantes partidos concordaram que o Governo agiu dentro da legitimidade que a lei lhe confere.