País

Três anos depois dos incêndios de outubro: aldeias continuam em ruínas e a floresta renasce desordenada

No pior dia de incêndios de que há memória morreram 50 pessoas e centenas de casas ficaram destruídas.

A 15 de outubro de 2017 parte do centro e norte do país foi devastada e hoje, quase concluída a reconstrução, continua a haver aldeias em ruínas e a floresta está a crescer de forma desordenada.

Foi o pior dia de incêndios de que há memória e morreram 50 pessoas e centenas ficaram sem casa. Em menos de 24 horas, o fogo passou por 38 concelhos, consumiu 290 mil hectares e só nesse dia ardeu quatro vezes mais do que em todo este ano de 2020.