País

Prepare-se, vem aí chuva e vento forte

"É uma situação severa em que devemos ter cautelas".

A chuva persistente e o vento forte vão regressar a Portugal continental a partir da tarde de segunda-feira devido a uma depressão que vai ficar a noroeste da Península Ibérica, disse esta sexta-feira à Lusa a meteorologista Ângela Lourenço.

"Para segunda-feira está prevista precipitação contínua, persistente, por vezes forte, e um aumento gradual da intensidade do vento. São situações típicas de outono com características mais severas, ou seja, precipitação forte e vento forte e provavelmente acompanhado também de agitação marítima forte", destacou a meteorologista do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Ângela Lourenço reforçou: "é uma situação severa em que devemos ter cautelas. No entanto, é uma situação típica de outono. No outono já começam a aparecer situações de precipitação forte".

Segundo a meteorologista, esta situação deve-se à passagem de superfícies frontais, ondulações frontais, associadas a uma depressão que vai ficar a noroeste da Península Ibérica, que vão atravessar o continente na próxima semana.

E no fim de semana?

Para sábado está previsto um aumento de nuvens principalmente no litoral norte e centro e pode ocorrer precipitação fraca.

"Depois no domingo voltamos a ter céu pouco nublado e até subida da temperatura. Domingo vai ser parecido com um dia de verão. A alteração do estado do tempo será a partir da tarde de segunda-feira", disse.

Quanto às temperaturas, Ângela Lourenço adianta que está prevista uma ligeira subida da temperatura máxima principalmente no domingo.

"No domingo, em alguns locais como o Ribatejo, as máximas aproximam-se dos 30 graus. No início da semana, as temperaturas regressam para valores da ordem dos 20 graus, entre 20 e 22 graus. No interior vão variar entre os 15 e os 17 graus e no Sul serão ligeiramente mais altas perto dos 23/24", disse.

  • Confidentes de alunos e cúmplices de professores: o braço contínuo

    País

    Chamam-lhes “funcionários” porque funcionam. A expressão até parece sugerir que eles são os únicos que “funcionam”, dentro de uma escola. Acalmem-se os tolos. Significa apenas que os “assistentes operacionais”, ou “auxiliares de ação educativa”, títulos mais pomposos do que “contínuos” – expressão que estimo muito - são pau para toda a colher.

    Opinião

    Rui Correia

  • O planeta em que todos vivemos

    Futuro Hoje

    O Planeta Lourenço terá que ser ainda mais simples e eficaz na mensagem. É um risco. Frequentemente, quando me mostram aparelhos ou programas as coisas falham, é o que chamo de síndrome da demonstração. Mas isto acontece na vida real, é assim que vamos fazer.

    Opinião

    Lourenço Medeiros