País

Mãe que deixou bebé no contentor do lixo condenada a 9 anos de prisão efetiva

O recém-nascido foi encontrado por um sem-abrigo, ainda com vestígios do cordão umbilical, em 2019.

A mulher que abandonou o filho recém-nascido num caixote do lixo na zona de Santa Apolónia, em Lisboa, em 2019, foi esta quarta-feira condenada a 9 anos de prisão efetiva.

O tribunal considerou que Sara Furtado agiu de forma premeditada para causar a morte do bebé. Foi assim condenada pelo crime de homicídio qualificado na forma tentada.

O Ministério Público tinha pedido uma pena ainda mais pesada, nunca inferior a 12 anos de prisão, considerando que a arguida nunca revelou arrependimento.

As autoridades receberam na tarde do dia 05 de novembro de 2019 o alerta a propósito de um recém-nascido encontrado num caixote do lixo na Avenida Infante D. Henrique, perto da estação fluvial.

O recém-nascido foi encontrado por um sem-abrigo, ainda com vestígios do cordão umbilical, tendo sido transportado ao Hospital Dona Estefânia. Foi transferido para a Maternidade Alfredo da Costa por não carecer de cuidados complexos médicos e cirúrgicos.

No mês passado, no julgamento, Sara Furtado confessou que deitou o bebé num ecoponto não para se desfazer dele, mas com a intenção de que fosse encontrado, justificando o ato com a "vergonha" e o "medo" de ter um filho e viver na rua.