País

Ficou em liberdade bancário suspeito de desviar 1,8 milhões de euros a clientes

Burla terá durado cerca de dez anos.

O bancário suspeito de desviar 1,8 milhões de euros de clientes, em Carrazeda de Ansiães, no distrito de Bragança, vai aguardar julgamento em liberdade, segundo divulgou esta quinta-feira fonte judicial.

O suspeito foi ouvido na quarta-feira no Tribunal de Vila Flor, que decidiu que o suspeito aguardará pelo julgamento em liberdade sujeito às medidas de coação de apresentações semanais às autoridades policiais da residência e proibição de contactar com as vítimas.

A decisão judicial foi conhecida hoje e o bancário, que já não exerce, foi detido na quarta-feira pela Polícia Judiciária (PJ) por suspeita de ter praticado os crimes de falsificação de documento, abuso de confiança e burla qualificada.

De acordo com aquela polícia, o bancário oferecia-se para aplicar as poupanças dos clientes e ficava com o dinheiro para proveito próprio", uma situação que se terá prolongado "ao longo de cerca de 10 anos, enquanto exerceu funções ligadas à atividade bancária, numa instituição financeira situada na localidade de Carrazeda de Ansiães".