País

Marinha tenta perceber detalhes do sucedido a cargueiro ao largo Figueira da Foz

Catorze tripulantes do cargueiro foram resgatados por outro navio e levados para o porto de Leixões.

Um meio naval seguiu para uma zona a 30 milhas ao largo da Figueira da Foz a fim de avaliar o que realmente aconteceu a um cargueiro em dificuldades, disse fonte oficial da Marinha.

O alerta para o caso foi dado cerca das 04:00 e cerca de oito horas depois subsiste a dúvida sobre se o Southwester - um cargueiro de bandeira Vanuatu que fazia a ligação entre França e Espanha - está à deriva ou terá mesmo afundado. Isto porque, confirmou a fonte, continua a ser rececionado o sinal automático de posicionamento da embarcação.

Em causa de naufrágio, esse sinal geralmente deixa de ser emitido porque a água deteriora o equipamento necessário à emissão do sinal.

A Marinha clarificou que uma informação de outra fonte sobre o envio de um meio aéreo para o local, sublinhando que se trata de uma hipótese e não de uma certeza.

"Está a ser avaliada essa possibilidade", disse a fonte.

Os 14 tripulantes do cargueiro foram resgatados por outro navio e levados para o porto de Leixões, sendo colocados aos cuidados das autoridades de saúde. São depois ouvidos pela Polícia Marítima, para ajudar a clarificar a situação.

"As suas declarações vão ser vitais", sublinhou a Marinha.