País

Portugal continental regista desagravamento da seca meteorológica em outubro

Eem todo o território e em relação a setembro.

Portugal continental registou no final de outubro um desagravamento da situação de seca meteorológica em todo o território em relação a setembro, segundo o último boletim climatológico do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

No final de outubro, apenas 12,4% de Portugal continental estava em seca fraca, enquanto 45,5% estava em situação normal e 42,1% em chuva fraca, de acordo com o índice meteorológico de seca (PDSI) disponível no site do IPMA.

Os dados indicam que no final de outubro verificou-se um desagravamento significativo da área e da intensidade da situação de seca meteorológica em todo o território, terminando mesmo nas regiões Norte e Centro e no Alto Alentejo.

Nas regiões do Baixo Alentejo e Algarve ainda se mantém a classe de seca fraca em muitos locais.

No final do mês de outubro, verificou-se um aumento generalizado em todo o território dos valores de percentagem de água no solo.

O instituto classifica em nove classes o índice meteorológico de seca, que varia entre "chuva extrema" e "seca extrema".

De acordo com o IPMA, existem quatro tipos de seca: meteorológica, agrícola, hidrológica e socioeconómica.

A seca meteorológica está diretamente ligada ao défice de precipitação, quando ocorre precipitação abaixo do que é normal.

Além do índice de seca, o Boletim Climatológico do IPMA, indica que o mês de outubro foi classificado como frio e chuvoso, sendo o 2.º mais frio dos últimos 20 anos (outubro de 2003 foi o pior).

O valor médio da temperatura média do ar (15,36 graus Celsius) foi inferior ao normal.

Segundo o IPMA, o valor médio da temperatura mínima do ar (9,88 graus), foi -1,31 graus inferior ao valor normal, sendo o 9.º mais baixo desde 1931 e o mais baixo dos últimos 20 anos.

Já o valor médio da temperatura máxima do ar (20,84 graus) foi o 3.º valor mais baixo desde 2000.

De acordo com o boletim, o mês de outubro foi marcado por alguma variabilidade nos valores de temperatura do ar, sendo a temperatura média em geral inferior ao valor normal mensal, exceto entre os dias 6 e 11 de outubro.

O menor valor da temperatura mínima no continente foi registado no dia 15 em Miranda do Douro, distrito de Bragança, (-0,9 graus Celsius) e o maior valor da máxima (32,8 graus) em Alvalade (Setúbal) em 8 de outubro.

O IPMA indica também que o valor médio da quantidade de precipitação em outubro, 119,7 milímetros, corresponde a 120% do valor normal 1971-2000 (98,2 milímetros).

Nos dias 19 e 20 de outubro, ocorreram valores de precipitação muito elevados, em todo o território, mas em particular nas regiões do Centro e Sul, associados à aproximação e passagem da depressão Bárbara.

Segundo o IPMA, foram ultrapassados os maiores valores diários de precipitação nas estações meteorológicas de Évora, Portalegre, Portel (Évora), Zebreira (Castelo Branco), Tomar (Santarém), Figueira de Castelo Rodrigo (Guarda) e Viseu.

O maior valor de precipitação foi registado em 20 de outubro em Portalegre com 150,1 milímetros.

O maior valor mensal da quantidade de precipitação em outubro foi registado na estação meteorológica de Covilhã, distrito de Castelo Branco, (282,8 milímetros), e o menor valor na de Albufeira, Faro, (32,2 milímetros).