País

O último dia do congresso do PCP

ANTÓNIO PEDRO SANTOS

Comunistas encerram este domingo os trabalhos em Loures.

O PCP encerra este domingo, em Loures, o seu XXI congresso nacional, com a votação da resolução política e o anúncio da eleição do secretário-geral, cargo que vai continuar a ser ocupado por Jerónimo de Sousa, reeleito por maioria.

Apesar de o comité central se ter reunido no sábado, para eleger o secretário-geral e os órgãos executivos - secretariado e comissão política - o anúncio oficial dos resultados só foi feito na manhã deste domingo.

No sábado, o novo comité central, com 129 membros, foi eleito numa sessão fechada do congresso, no pavilhão Paz e Amizade, em Loures, Lisboa, com 98,5% dos votos. Dos 611 delegados, 603 votaram a favor, três contra e seis abstiveram-se.

Este congresso, envolto em polémica, criticado pelos partidos da direita, realizou-se em plena pandemia de covid-19 e em estado de emergência.

Até às vésperas do congresso, Jerónimo de Sousa admitiu continuar na liderança do PCP.

No discurso de abertura, na sexta-feira, Jerónimo avisou que o seu partido, tal como na legislatura passada em que participou num entendimento à esquerda com o PS, não foi "parte de uma alegada maioria" de suporte ao Governo, "mas sim força de oposição".

"Oposição a tudo o que contrarie ou faça retroceder os interesses e direitos dos trabalhadores e do povo, e força indispensável para com a sua iniciativa se avançar na conquista de novos direitos", disse.

O congresso é encerrado pelo secretário-geral do partido e está previsto terminar às 12:30.

João Ferreira ataca Marcelo e Jerónimo afasta hipótese de adjunto

João Ferreira, candidato nas eleições presidenciais, acusou o Presidente da República de defender os grupos económicos.

  • "Não sabia como ia acordar. Estava muito assustada"

    Coronavírus

    Rita, Filipa e Andreia conviveram de perto com o coronavírus, cada uma com experiências diferentes. O marido de Andreia esteve internado duas semanas com covid-19 e a filha também esteve infetada, em junho do ano passado. A Rita, a Filipa e a família de ambas estiveram infetadas no último mês. Os sintomas foram ligeiros, mas as preocupações iam além disso. À SIC Notícias, falaram sobre os receios que sentiram e de como ultrapassaram os dias difíceis.

    Exclusivo Online

    Rita Rogado