País

Marcelo apresenta condolências ao homólogo alemão por vítimas de atropelamento

MÁRIO CRUZ

O condutor detido apresentava uma taxa de alcoolemia de 1,4 grama por litro de sangue, acima do limite legal de 0,25 g/l.

O Presidente da República português, Marcelo Rebelo de Sousa, apresentou esta terça-feira as condolências e solidariedade ao homólogo alemão pela morte de pelo menos cinco pessoas na sequência de um atropelamento numa zona pedonal na cidade de Trier, na Alemanha.

Pelo menos cinco pessoas, incluindo um bebé, morreram hoje em Trier, na Alemanha, e cerca de 15 ficaram feridas, algumas em estado grave, depois de um carro irromper por uma zona pedonal a alta velocidade, cujo condutor foi detido.

Numa nota publicada na página da Presidência da República pode ler-se que Marcelo Rebelo de Sousa "enviou, em nome do povo português e no seu próprio, uma mensagem de condolências ao Presidente Frank-Walter Steinmeier, transmitindo votos de pesar às Famílias das vítimas mortais e de rápida recuperação a todos aqueles que ficaram feridos".

"O Presidente da República expressou ainda a sua profunda solidariedade para com o Povo Alemão neste momento difícil e manifestou o seu firme repúdio por este ato de violência", refere a mesma nota.

Esta tarde, através do Twitter, o Ministério dos Negócios Estrangeiros português expressou "a sua solidariedade para com as famílias das vítimas do atentado que aconteceu hoje na cidade de Trier, na Alemanha", reiterando o apoio ao povo e autoridades alemãs.

Questionado pela agência Lusa sobre a utilização da palavra "atentado", fonte oficial do Ministério dos Negócios Estrangeiros explicou que não dispunha de "nenhuma outra informação senão a que circula publicamente e dá conta do atropelamento mortal de várias pessoas na cidade de Trier, provocado por um automóvel".

"Exprimimos a solidariedade com as vítimas desse facto. Aguardamos a sua caracterização pelas autoridades alemãs competentes", referia a mesma resposta à Lusa.

O condutor que hoje provocou cinco mortes ao atropelar várias pessoas numa zona pedonal, em Trier, mostra sinais de "distúrbios psiquiátricos", afirmou o procurador dessa cidade do oeste da Alemanha, com a polícia a descartar motivações terroristas.

Os primeiros elementos da investigação mostram "que distúrbios psiquiátricos podem ter desempenhado um papel" no ato do homem de 51 anos, afirmou Peter Fritzen, em conferência de imprensa, acrescentado que o responsável pela tragédia, natural de Trier, estava também alcoolizado.

Ao início da tarde, uma viatura SUV cinzenta entrou a grande velocidade numa zona pedonal aos ziguezagues e de forma intencional para atropelar transeuntes e barracas de lojas durante várias centenas de metros.

Apenas quatro minutos depois, quando saiu para uma rua rodoviária, foi intercetado por vários carros da polícia e detido apesar de resistir.

A Procuradoria de Trier indicou que o suspeito é um homem de 51 anos, de nacionalidade alemã, natural de Trier e que residia habitualmente na periferia da cidade, apesar de ter passado os últimos dias "no seu veículo".

O detido, que apresentava uma taxa de alcoolemia de 1,4 grama por litro de sangue, acima do limite legal de 0,25 g/l, não tinha antecedentes criminais, mas está a ser investigada a possibilidade de uma "doença psiquiátrica", uma vez que tinha sido examinado recentemente.