País

Ana Gomes: "Pior que tudo foi ouvir que há vacinas, mas reservadas para certas pessoas" 

Ana Gomes critica campanha de vacinação da gripe.

Ana Gomes está convencida que não cometeu qualquer ilegalidade ao tomar uma vacina contra a gripe que foi trazida de França por uma amiga. O Infarmed diz que se trata de um ato proibido, mas a candidata à Presidência da República diz que agiu de boa fé.

Ana Gomes revelou a informação no Twitter. Três meses depois de se ter inscrito numa farmácia, a candidata presidencial diz que se fartou de esperar e resolveu o assunto desta forma. Acrescenta que o pior de tudo foi ouvir da farmacêutica que há vacinas, mas que estão reservadas para pessoas de certas empresas que as compraram.

A autoridade nacional do medicamento diz que esta forma de tomar a vacina é proibida. A importação de medicamentos para uso próprio pelos utentes não tem suporte legal e acarreta riscos para a saúde dos consumidores.

Questionada sobre o exemplo que está a dar, enquanto figura pública e candidata presidencial, Ana Gomes diz que apenas tentou deixar um alerta para o que se está a passar em Portugal com a campanha de vacinação contra a gripe sazonal.

  • A árdua experiência com a sustentabilidade 

    Mundo

    E se alguém lhe dissesse que passaria a viver num quarto, com eletricidade apenas para pequenos utensílios domésticos, sem aquecimento central, ar condicionado ou água quente. Teria apenas três conjuntos de roupa, sem máquina de lavar ou secar, faria dieta local sem produtos de origem animal e não andaria de automóvel nem de avião?

    Opinião

    João Abegão