País

Três religiosas e um padre de Famalicão vão ser julgados por crimes de escravidão

Em 2015, três noviças conseguiram fugir do convento e denunciar os maus-tratos.

Vai a julgamento o processo do convento de Requião, em Famalicão, que envolve maus tratos e escravatura. O caso foi conhecido em 2015 e o tribunal decidiu agora que dois padres e três religiosas vão responder por crimes de escravidão.

Em 2015, três noviças conseguiram fugir da Fraternidade Missionária do Cristo Jovem, em Famalicão, e denunciaram os maus tratos. Os relatos davam conta de insultos, penitências desumanas, e até castigos físicos.

Ainda não há data marcada, mas é já certo que o padre e as três religiosas vão ser julgados. O juiz de instrução criminal de Guimarães decidiu manter todos os dados da acusação do Ministério Público. Um outro padre, representante da Arquidiocese de Braga na instituição, também é arguido no processo.