País

Queda de Portugal no ranking internacional de ensino de Matemática leva a troca de acusações

O secretário de Estado Adjunto e da Educação acusa o antigo ministro da Educação, Nuno Crato, de ser responsável pela descida na avaliação.

Portugal caiu várias posições na avaliação internacional dos alunos do quarto ano nas disciplinas de Matemática e Ciências. O resultado levou a uma troca de acusações entre o ministro da Educação de Pedro Passos Coelho e o atual secretário de Estado Adjunto e da Educação, num passa culpas entre os dois governos.

Em 2015, os alunos portugueses ficaram na 13.ª posição, à frente dos finlandeses. Quatro anos depois ficaram em 20.º, numa lista de 58 países. A avaliação internacional realiza-se de quatro em quatro anos e classifica o sistema de ensino do quarto e oitavo anos nas disciplinas de Matemática e Ciências.

O secretário de Estado Adjunto e da Educação disse, ao Expresso, que a culpa é da reforma aplicada pelo Governo de Passos Coelho entre 2012 e 2015.

“Os alunos avaliados em 2019 (…) seguiram desde o primeiro ano as metas curriculares do ministro Nuno Crato”, diz João Costa, e “a exigência associada a estas metas acabaram por baixar os desempenhos”.

O ex-ministro, em resposta ao Expresso, defende-se das acusações que considera “irresponsáveis e falsas”.

“A reversão do progresso de 2015 tem como responsável as medidas do governo atual”, afirma, acrescentando que a descida na avaliação internacional “exige ser seriamente analisada”.

Nuno Crato declara ainda que “os estudantes do quarto ano avaliados em 2015 (…) fizeram todo o percurso escolar numa cultura de exigência, avaliação e valorização do conhecimento”.