País

Mais de 800 enfermeiros com vínculo precário no Grande Porto

Profissionais foram contratados para dar resposta à pandemia.

O sindicato dos enfermeiros portugueses exige a contratação definitiva de mais de 800 enfermeiros com vínculo precário que trabalham na região do Porto e que foram contratados para dar resposta à pandemia de covid-19.

Em outubro, o Governo deu luz verde para integrar nos quadros do Estado 912 enfermeiros, mas o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses diz que não chega, sublinhando que só na região do Porto há 830 enfermeiros com vinculo precário, quer com contratos de quatro meses ou com contratos de substitução.

Fátima Monteiro, dirigente do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, diz que só no Centro Hospitalar Gaia Espinho há mais de uma centena de enfermeiros com vínculo precário e acusa a Administração de atropelos aos direitos dos trabalhadores com filhos menores.

Durante um protesto em frente ao Centro Hospitalar Gaia Espinho, o sindicato apelou ao fim vínculos precários, ao reconhecimento e valorização da carreiras e ao pagamento do subsídio de risco permanente.