País

BE defende demissão do ministro Eduardo Cabrita

Em causa está o caso do ucraniano morto no aeroporto de Lisboa.  

O Bloco de Esquerda defendeu esta quinta-feira que Eduardo Cabrita não tem condições para continuar no cargo de ministro da Administração Interna por "não conseguir garantir as alterações que o SEF precisa".

A posição do partido foi transmitida pelo líder parlamentar Pedro Filipe Soares, na Assembleia da República, na sequência da reação da cúpula do SEF e do próprio Ministério da Administração Interna ao caso em que um cidadão ucraniano morreu nas instalações deste serviço de segurança no aeroporto de Lisboa.

"A composição do Governo é uma competência do primeiro-ministro (António Costa) , mas o Bloco de Esquerda entende que o SEF tem problemas sistémicos e que, ao fim de oito meses, o ministro da Administração Interna já não pode fazer parte da solução para resolver esses mesmos problemas", declarou Pedro Filipe Soares.

Eduardo Cabrita diz que "só o primeiro-ministro" pode decidir se tem condições para continuar no cargo

Numa conferência de imprensa, esta quinta-feira, o ministro da Administração Interna congratulou-se pelo trabalho que fez no caso do cidadão que morreu às mãos do SEF. Eduardo Cabrita lamentou que alguns só agora se tenham juntado à Defesa dos Direitos Humanos.

Questionado pela comunicação social sobre a sua continuação no cargo, Eduardo Cabrita disse que "só o primeiro-ministro poderia responder à questão".

Estado vai indemnizar família de Ihor Homeniúk

O Estado português vai pagar uma indemnização à família do cidadão ucraniano que foi morto em 12 de março em instalações do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) no aeroporto de Lisboa.

Em comunicado, o Conselho de Ministros explica que "(...) decidiu assumir, em nome do Estado, a responsabilidade pelo pagamento de uma indemnização pela morte de um cidadão à sua guarda e em instalações públicas (...) à viúva e aos dois filhos menores de Ihor Homeniuk".

A Provedora de Justiça irá definir o montante da indemnização a pagar e os termos do respetivo pagamento.