País

Nova unidade de cuidados intensivos do Centro Hospitalar de Gaia-Espinho já está a funcionar

Serviço abriu na semana passada com 28 camas.

A nova unidade de cuidados intensivos do Centro Hospitalar de Gaia-Espinho abriu na semana passada. Está a terminar o processo de transferência de doentes e conta agora com 28 camas.

Esta é a quinta vez que Gaia muda os cuidados intensivos, hoje num contexto diferente em que a covid-19 foi ganhando no hospital espaço físico e absorvendo recursos humanos de outros serviços.

Existem 28 camas de cuidados intensivos e também intermédios, mas todas podem passar para o chamado nível três se for necessário. São na prática mais sete do que as que existiam na anterior unidade.

A nova unidade começou a funcionar na semana passada e já está a terminar o processo de transferência.

O Hospital de Gaia resolveu acelerar esta nova unidade de cuidados intensivos em março, quando a pandemia começou em força em Portugal. Em agosto, António Costa fazia o anúncio oficial ainda num espaço de obra em bruto.

Um investimento de mais de três milhões de euros em infraestrutura e quase 2,5 milhões em equipamentos. São quase 1.700 metros quadrados com 28 camas que incluem seis quartos de isolamento.

  • A árdua experiência com a sustentabilidade 

    Mundo

    E se alguém lhe dissesse que passaria a viver num quarto, com eletricidade apenas para pequenos utensílios domésticos, sem aquecimento central, ar condicionado ou água quente. Teria apenas três conjuntos de roupa, sem máquina de lavar ou secar, faria dieta local sem produtos de origem animal e não andaria de automóvel nem de avião?

    Opinião

    João Abegão