País

Bacelar Gouveia constituído arguido num processo que investiga crimes de corrupção

Constitucionalista é suspeito de vender doutoramentos em troca de contrapartidas.

O constitucionalista Jorge Bacelar Gouveia foi constituído arguido num processo que investiga crimes de corrupção. O professor catedrático, docente na Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa, é suspeito de ter vendido doutoramentos a alunos dos PALOP a troco de contrapartidas.

Contactada pela SIC, a instituição confirma que foram realizadas buscas na faculdade e avança que a Universidade já se constituiu assistente no processo crime, estando disponível para colaborar com as autoridades.

No início do mês, Bacelar Gouveia renunciou ao cargo de Presidente do Conselho Científico da Faculdade. Mantém-se, no entanto, à frente do Conselho Fiscal da Ordem dos Advogados.

Há menos de dois meses ficou em primeiro lugar num concurso para juiz do Supremo Tribunal de Justiça como jurista de mérito.