País

Ficaram por realizar mais de 6,5 milhões de consultas nos centros de saúde em 2020

Os médicos estão preocupados com os doentes crónicos.

Em 2020 ficaram por realizar mais de 6,5 milhões de consultas presenciais nos centros de saúde. Os dados são do Portal da Transparência e estão a deixar os especialistas preocupados, principalmente por causa dos doentes crónicos.

Os estudos provam que no caso dos doentes com problemas cardiovasculares, o ideal é serem vistos pelo médico entre duas a três vezes por ano. O confinamento ajudou a quebrar essa rotina. Rui Nogueira, médico de Medicina Geral Familiar explicou à SIC que os doentes acabam por deixar a medicação e aqueles que já deveriam ter feito análises ainda não as fizeram.

Rui Nogueira notou ainda um aumento de 5 a 10% no peso dos doentes.

O Portal da Transparência do Serviço Nacional de Saúde mostra que entre janeiro e outubro do ano passado houve 10,7 milhões de consultas presenciais nos centros de saúde. Significa que ficaram por realizar 6,6 milhões de atendimentos.

O importante agora, dizem os especialistas, é monitorizar ao máximo os doentes crónicos que estão sem acompanhamento. Voltar ao fluxo normal de consultas vai ser difícil, até porque há quem continue com medo de sair de casa.

A teleconsulta tem-se mostrado eficaz, mas os médicos pedem que não se generalize. Deixam um alerta à ordem para que crie regulamentação específica com o que deve ou não ser tratado à distância.