País

David Justino sobre acusações de Costa a militantes do PSD: "Há um crime de injúria"

Vice-presidente do PSD considera que o primeiro-ministro perdeu as estribeiras.

António Costa acusou esta semana Paulo Rangel e Poiares Maduro de liderarem uma campanha para denegrir o país por causa da polémica com o procurador europeu José Guerra. Segundo o líder do Governo, Ricardo Batista Leite está também envolvido na organização da "campanha internacional".

O PSD tinha anunciado que avançaria com uma queixa-crime contra as acusações de António Costa. No entanto, pelo menos dois dos visados não pretendem fazê-lo e já o assumiram publicamente. No entanto, a direção dos sociais-democrata está disponível para prestar todo o apoio aos três militantes visados.

David Justino, vice-presidente do PSD, afirma que foi identificada matéria suficientemente grave para fazer essa queixa. "Aquilo que o senhor primeiro-ministro faz é uma acusação injuriosa, há um crime de injúria", alega.

Numa entrevista à SIC Notícias, disse que António Costa perdeu as "estribeiras" e que não pode confundir-se com Portugal ao fazer uma acusação a três "distintos militantes", um eurodeputado, um ex-ministro e um vice-presidente da bancada parlamentar.

"Em situações de tensão não conseguimos ver até onde podemos e devemos ir", aponta David Justino.

Sobre a polémica com o procurador europeu, o vice-presidente do PSD diz que seguiu com atenção a audição parlamentar da ministra da Justiça, Francisca Van Dunem, mas refere que ficou ainda com mais dúvidas.