País

740 pessoas já se candidataram para se mudarem para o interior do país

Medida Emprego Interior MAIS recebeu 207 candidaturas até ao final de dezembro.

A medida Emprego Interior MAIS, que atribui um apoio até 4.827 euros a trabalhadores que querem mudar-se para o interior, recebeu até ao final de dezembro 207 candidaturas, que correspondem a 740 pessoas, adiantou hoje o Governo.

Em comunicado, o Ministério da Coesão Territorial e o Ministério do Trabalho adiantam que as 740 pessoas incluem, além dos candidatos, os elementos do agregado familiar.

"Foram já aprovadas 77 candidaturas, o que significa que 222 pessoas já se mudaram para territórios do interior e beneficiaram deste apoio do Estado. O montante de apoios aprovado ascende a 230 mil euros", referem os ministérios na nota.

De acordo com os dados do Governo, quase metade dos candidatos com processos aprovados são jovens até aos 34 anos (45% do total) e quase dois terços (64%) têm habilitações de nível superior.

A maioria das candidaturas aprovadas (50) são relativas a processos de trabalho por conta de outrem, outras 22 são relativas à criação do próprio emprego e cinco são de pessoas que criaram empresas.

Distribuição das candidaturas aprovadas quanto à região de destino:

  • Norte – 15 candidaturas aprovadas.
  • Centro – 52 candidaturas aprovadas.
  • Alentejo – 10 candidaturas aprovadas.
  • Algarve – 1 candidatura aprovada.

"O apoio financeiro direto a conceder a quem se mudar para o interior será de 2.633 euros, a que acresce uma majoração de 20% por cada elemento do agregado familiar (até ao limite de 1.316 euros). Será ainda comparticipado o custo de transportes de bens, até ao limite de 878 euros", é sublinhado.

Esta medida é operacionalizada pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) e estão abrangidos os trabalhadores desempregados ou empregados à procura de novo emprego que se mudem para territórios do interior.

"Os beneficiários terão de ter um contrato a tempo completo (com duração mínima superior a um ano) e está também abrangida a criação do próprio emprego. As candidaturas continuam abertas na página do IEFP", é referido na nota.

A medida Emprego Interior MAIS integra o programa Trabalhar no Interior, dinamizado por várias áreas governativas e coordenado pela área da Coesão Territorial.

Esta medida tem financiamento assegurado por fundos europeus através dos Programas Operacionais Regionais Norte 2020, Centro 2020, Alentejo 2020 e CRESC Algarve 2020.

As candidaturas para a programa Emprego Interior MAIS, para promover a mobilidade de trabalhadores do litoral para o interior, apoiando desempregados e empregados à procura de novo emprego, abriram em 20 de agosto do ano passado.

Segundo o Governo, a concessão dos apoios previstos abrange contratos de trabalho por conta de outrem (sem termo, a termo certo com duração inicial igual ou superior a 12 meses, e a termo incerto, quando a duração previsível seja igual ou superior a 12 meses) e a criação do próprio emprego ou empresa, em local situado em território do interior, à qual esteja associada a mudança de residência.

"As candidaturas terão de ser submetidas nos 90 dias seguintes à celebração de contrato de trabalho ou da criação do próprio emprego ou empresa", de acordo com o executivo.

No final de julho já tinha sido aberta a medida +CO3SO Emprego Interior, para apoio à contratação de trabalhadores, preferencialmente qualificados, por parte de pequenas e médias empresas (PME) já existentes ou a criar, e com atividade no interior.

A medida +CO3SO apoia também a criação do próprio emprego ou do próprio negócio.

Os apoios concedidos no âmbito da medida + CO3SO Emprego Interior são pagos à empresa durante 36 meses e podem atingir o valor de 1.900 euros por mês.

As candidaturas continuam abertas na página do IEFP.