País

Von der Leyen diz que Cardoso e Cunha ficará ligado à participação de Portugal na construção europeia

POOL New

A presidente da Comissão Europeia destacou o percurso do político português na CEE.

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, salientou esta segunda-feira que António Cardoso e Cunha, antigo comissário europeu que morreu este domingo, ficará sempre ligado à participação de Portugal na construção europeia.

"Soubemos ontem [domingo] à noite da morte do antigo comissário europeu António Cardoso e Cunha", disse o porta-voz do executivo comunitário, Eric Mamer, sublinhando que "o seu nome ficará sempre associado à participação de Portugal na construção europeia".

"Em nome da presidente Von der Leyen e de todo o colégio, gostaria de expressar a nossa simpatia e condolências à família e amigos" de Cardoso e Cunha, que "trouxe ao executivo uma vasta experiência quer no setor público quer no privado".

Mamer recordou ainda que António Cardoso e Cunha "cumpriu dois mandados sob a presidência de Jacques Delors, primeiro como comissário para as Pescas e depois com uma pasta muito vasta que incluía o pessoal, administração e tradução, energia, pequenas e média empresas e turismo".

O primeiro comissário europeu português, António Cardoso e Cunha, morreu no domingo com 87 anos, disse à agência Lusa um seu antigo assessor e uma fonte do PSD.

Engenheiro químico de formação e militante do PSD, Cardoso e Cunha foi deputado, ministro da Agricultura e Pescas de Governos da AD liderados por Sá Carneiro e presidente da TAP.

Em 1986, após a adesão de Portugal à então Comunidade Económica Europeia (CEE), foi nomeado comissário europeu, cargo que ocupou até 1993.

No final da década de 1990, foi nomeado comissário da Expo'98 e em seguida presidente do Conselho de Administração da TAP, tendo saído do cargo em 2004 para dar lugar a Fernando Pinto.